29 de novembro de 2015

Homenagem a Belmiro Siqueira: Patrono da Administração

Há 29 anos (29/11/1986), falecia o Administrador Belmiro Siqueira, patrono da Administração no Brasil. E no ano em que a regulamentação da Administração completou 50 anos, não há como deixar de exaltar a valiosa e decisiva contribuição de Belmiro Siqueira para a ciência administrativa e sua representatividade como profissão perante a sociedade.

Mineiro da cidade de Ubá, nascido em outubro de 1921, a atuação de Belmiro Siqueira foi parte fundamental do processo de regulamentação da Administração no país. Ele foi um dos representantes da luta para tornar a carreira administrativa mais respeitada e um dos grandes responsáveis por sua regulamentação que ocorreu oficialmente em 9 de setembro de 1965, através a promulgação da Lei n.º 4.769.

Fez carreira promissora como professor universitário e soube fazer uso de sua vocação para formar gerações inteiras com uma visão mais humana dentro da ciência da Administração.

Atuou em diferentes áreas. Na área federal foi diretor-geral do Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP); na área estadual, principalmente no Rio de Janeiro, exerceu a função de direto da Escola do Serviço Público do até então Estado da Guanabara (1966); foi presidente do Conselho Federal de Administração; publicou diversos trabalhos técnicos dentro da área; foi colunista de diferentes jornais; é reconhecido como um dos introdutores do curso superior de Administração no Brasil; lecionou em 25 universidades do país; foi um dos responsáveis pela coordenação a reforma administrativa do Ministério da Administração.

Durante sua atuação como presidente do CFA, Belmiro intensificou seu trabalho pela afirmação da existência da profissão de administrador de empresas. Foi neste período, que participou da criação dos Conselhos Regionais de Administração, em diversas capitais do Brasil ajudando no desenvolvimento e aperfeiçoamento da Administração como ciência e profissão.

Belmiro faleceu no ano de 1986, em Porto Velho. Na época atuava como Presidente do Conselho Federal de Administração (CFA). Devido a sua representatividade dentro da profissão, no ano de 1990 o professor e administrador foi outorgado post-mortem como Patrono dos Administradores, título que lhe confere, merecidamente, homenagens até os dias atuais.

A exemplo disso, para homenagea-lo, o Sistema CFA/CRAs intitulou como Prêmio Belmiro Siqueira de Administração o concurso nacional que premia estudantes da área que desenvolvem ações voltadas à responsabilidade social.

Além disso, o prédio sede do Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro, estado onde o Administrador tem atuação destacada, também recebeu seu nome.

Em sua última palestra, ministrada em Porto Velho ainda como presidente do CFA, no dia de seu falecimento, Belmiro Siqueira fez um discurso no qual demonstrou sua imensa humildade como homem e sua visão humanista dentro da atuação como profissional de Administração.

“Dizem que quando a gente pega uma barrinha de ouro e uma barrinha de prata, encosta uma na outra e leva em um microscópio eletrônico para ver o que acontece, no meio da prata tem partícula de ouro e no meio do ouro tem partículas de prata. O mesmo se diz hoje em termos dos agrupamentos humanos. Quando a gente se fala, debatem conversa, dialoga, uns ficam perto do outro um observa o outro e vice-versa, o eletrônico de um entra no eletrônico do outro. Então espero que muito do ouro de vocês encham um pouquinho da minha prata, e espero que alguma partícula da minha prata acumule o ouro de vocês”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário