3 de março de 2017

Pesquisa realizada pelo CRA-RJ traça perfil da formação do Administrador no Estado

No ano de 2016, o Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro propôs e realizou uma grande pesquisa quantitativa e qualitativa de formação do Administrador, que contou com a opinião de mais de 1.000 pessoas. A ‘Pesquisa sobre o Processo de Formação em Administração no Estado de Rio de Janeiro – 2016’ contém dados que revelam o perfil, a satisfação dos públicos entrevistados (estudantes, Administradores e mercado) e as expectativas profissionais.
Para o Adm. Jorge Humberto Moreira Sampaio, presidente do CRA-RJ, a expectativa é que a pesquisa possa atender as demandas e preencher as lacunas presentes ao longo do processo de desenvolvimento dos Administradores, desde o aprendizado teórico nas instituições de ensino até a prática no mercado de trabalho, ampliando assim o conhecimento, a qualificação e a remuneração desses profissionais.
“Os dados revelados na pesquisa são de grande importância para que o CRA-RJ identifique oportunidades de ações isoladas ou mesmo em conjunto com as Instituições de Ensino Superior e outras entidades. As IES, por sua vez, poderão se valer dos resultados dessa pesquisa para reavaliarem projetos pedagógicos, matrizes curriculares, perfil do egresso, atividades complementares, TCC etc.”, destacou Sampaio, lembrando que a pesquisa traz ainda, separadamente, a opinião dos domiciliados na Região Metropolitana e no interior do Rio de Janeiro.

De acordo com o conselheiro e vice-presidente de Educação, Estudos e Pesquisa do CRA-RJ, Adm. Miguel Marun, é preciso pensar na Administração do futuro, no que é esperado dos Administradores e das empresas ligadas à área. Para isso, a abrangência da pesquisa de torna fundamental.
“O nosso principal objetivo, ao desenvolver a pesquisa, é poder melhorar a qualidade do profissional de Administração que virá pela frente”, salientou o Administrador.
A pesquisa foi enviada completa ao CFA, CRAs do país, Angrad, MEC e outras entidades da área, além das Instituições de Ensino Superior conveniadas ao CRA-RJ.
Dados
As entrevistas foram realizadas a partir do banco de dados do Conselho com os profissionais, empresas e estudantes registrados. Durante a pesquisa, foram ouvidos no grupo dos profissionais, Administradores com escolaridade de graduação (63,5%) a pós-doutorado (0,8%), possuindo renda mensal de R$ 3.521,00 a R$ 6.160,00. Quanto ao tempo de experiência na área de Administração, a média foi de 16,9 anos, sendo “por ter afinidade com área”, com 38,3%, o motivo mais frequente na pesquisa para ter ingressado no curso de Administração.

Quanto aos estudantes, foram analisados aqueles que cursavam entre o 6º e o 8º período do curso de Administração, constatando uma renda familiar média mensal entre R$ 1.761,00 e R$ 3.520,00. Destes, 64,3% cursam de forma presencial, 21,7% através de EAD (Ensino a Distância) e 14% Flex. Assim como os profissionais, “por ter afinidade com área” foi tido como o principal motivo de ingresso no curso de Administração, com 35,3%.
Em relação ao grupo mercado, foram entrevistados empresários e gestores de recursos humanos. Empresas de Pequeno Porte (EPP) tiveram a maior parcela da pesquisa, com 33,3%, seguidas por Empresas de Médio Porte, com 26,7%, Microempresas, com 26,7%, e Empresas de Grande Porte, com 13,3%. Dentro deste universo, foi destacada a área financeira como de suma importância a presença de um Administrador (43,1%), com posterior destaque para gestão estratégica/administração geral (32,3%).
É preciso avaliar também que os entrevistados acreditam que o Administrador é indispensável na área financeira (43,1%); gestão estratégica e administração geral (32,2%); recursos humanos (27,7%); marketing e vendas (16,9%); produção e logística (9,2%) e sistemas de informação (3,1%). Além disso, para 92,9% das empresas, o Administrador é um diferencial necessário para o desenvolvimento das empresas.
Outro dado que pode ser destacado na pesquisa encomendada pelo CRA-RJ é que, dentre as habilidades apresentadas pelos Administradores, as cinco características mais frequentes foram: Saber se relacionar com o público (10,8%); Capacidade de gestão (9%); Organização (7,2%); Gerenciamento de custos (6,3%); e Gestão de planejamento estratégico (4,5%).
Índice de Satisfação
A pesquisa ainda apresenta o Indicador de Satisfação com o Curso de Administração – ISCA -, elaborado pela empresa Qualitest Ciência e Tecnologia, que foi a responsável pela coleta de dados e elaboração deste relatório. Através do ISCA é possível mensurar a satisfação dos estudantes e egressos com a formação em Administração e a oportunidade que o curso proporcionou para o ingresso no mercado de trabalho. Também analisa a percepção das empresas quanto a formação do Administrador necessária para atender a contento o mercado de trabalho.
A margem de erro da ‘Pesquisa sobre o Processo de Formação em Administração no Estado de Rio de Janeiro – 2016 é de 3,1% e intervalo de confiança de 95%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário