21 de setembro de 2017

Autoconsciência e quebra de paradigmas ajudam na ascensão pessoal e profissional

Todo profissional que se preze deseja crescer sempre em sua carreira, enfrentar novos desafios, criar soluções inovadoras, desenvolver produtos e serviços que agreguem valor ao seu empreendimento ou à empresa para qual trabalha. Mas, conforme defende o Adm. Robson Santarém, coach e especialista em RH, há muitas questões internas e externas que atravancam o desenvolvimento pleno das pessoas, em diversos âmbitos.

Para Santarém, entre os obstáculos que impedem a ascensão pessoal e profissional, está a falta do autoconhecimento. Muitos não sabem nem mesmo definir seus pontos fracos ou fortes e, como consequência, não sabem o que devem capitalizar, para se destacar entre os demais, nem o que precisa ser eliminado ou minimizado, para evitar danos colaterais. Este não conhecimento também impede que o indivíduo se valorize diante das questões que aparecem, o que o leva, muitas vezes, ao menosprezo de suas habilidades.

O Adm. Robson Santarém também explica que a fragmentação da vida, isolando as suas variadas vertentes, gera um colapso mental e comportamental no indivíduo, que resulta na não execução satisfatória de suas atividades laborais ou de lazer, sejam quais forem. Ele explica que essa divisão das coisas é algo defendido a partir de pensamentos dos filósofos matemáticos Isaac Newton e René Descartes, pois defendiam que ‘para a gente entender o todo é preciso dividir em partes’. Daí, separou-se o universo em partes, o que facilitou seu estudo e o surgimento de muitas tecnologias, mas prejudicou a essência do ser humano.

“Falaram-nos um dia: ‘Separe vida profissional de vida pessoal’. E tem gente que vai ficando esquizofrênico, porque não consegue separar uma coisa da outra, pois só existe uma vida. E, nesse esforço de separar o que é indivisível, começamos a entrar em um conflito interno. Por exemplo, não é possível separar razão da emoção. O cérebro é um só, com dois hemisférios, mas estão conectados. Tampouco separar vida material de espiritual. O ser humano é um só e precisamos aprender a juntar todas as coisas”, explicou Santarém.

O modelo de fragmentação, conforme explica Santarém, possibilitou o surgimento das especializações profissionais, onde alguém sabe muito de pouco, como acontece com a área de Administração. Nas organizações, os departamentos muitas vezes agem isoladamente, o que não é um comportamento estratégico. O ser humano aprendeu a separar, mas se esqueceu de que as coisas são interdependentes. Nada acontece isoladamente, portanto não pode ser resolvido separadamente.

Muitas outras questões impedem o crescimento de alguém. Entre elas, crenças, preconceitos, absolutismos, inflexibilidade, competição desmedida e individualismo. Todas são apresentadas pelo Adm. Robson Santarém em uma palestra disponível gratuitamente no Facebook do CRA-RJ, na CRA-RJ Play e na Rádio CRA-RJ, sob o título de “O que nos impede ser mais?”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário