18 de setembro de 2017

Manifestação contra ações da Febraban movimenta a Cinelândia

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) quer aumentar os custos da emissão dos boletos bancários, fazendo com que todos sejam registrados, o que fará com que o consumidor pague mais em cada transação. Diante dessa manobra abusiva, o Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro, corroborando uma iniciativa da atual gestão do Conselho Federal de Administração, realizou uma manifestação contra a medida, no dia 15 de setembro, na Cinelândia, no Centro do Rio de Janeiro.

Com uma raposa inflável de 12 metros de altura, fixada em frente à Câmara de Vereadores, a manifestação chamou a atenção de quem passava pelo local. Folders, máscaras e cartazes foram distribuídos aos transeuntes. Além disso, funcionários do CRA-RJ estavam treinados a fornecer informações acerca da manifestação e de sua importância para a sociedade.

O presidente do CRA-RJ, Adm. Jorge Humberto M. Sampaio, considera que ações como esta devem ser realizadas por todos os Conselhos de classe, ONGs e sociedade civil organizada, pois afeta toda a população.

“O CFA e o CRA-RJ estão preocupados com a questão social, por isso estão à frente do combate ao abuso da Febraban. Não podemos aceitar ser roubados pela corrupção e, agora, também pela má gestão. A cobrança que querem impor é símbolo da má gestão sob a desculpa de aumentar a segurança. Mas o objetivo deles é ganhar ainda mais dinheiro às custas do consumidor final”, declarou o presidente do CRA-RJ.

Além da necessidade de envolvimento de cada cidadão nessa campanha, o Adm. Wagner Siqueira, presidente do CFA, chamou atenção para o descaso dos órgãos públicos quanto a esta situação.

“O ministro da Fazenda do Brasil e o presidente do Banco Central ficam em um silêncio cúmplice, certamente comprometedor, diante desse tipo de avanço sem leis ou regras, nem resolução do Ministério da Fazenda ou do Banco Central. O Sistema CFA/CRAs entrou nessa batalha porque percebeu que estão usando a crise política e econômica como cortina de fumaça para que os banqueiros continuem lucrando, através dos boletos”, argumentou o Adm. Wagner Siqueira.

Muitas pessoas que passaram pela Cinelândia e viram a manifestação se interessaram pelo tema, mas a percepção foi de que a maioria desconhecia a manobra da Febraban e como isto afeta o orçamento familiar.

Ainda durante a manifestação, o Adm. Wagner Siqueira revelou a estratégia da Federação Brasileira dos Bancos para tentar calar a voz do Sistema CFA/CRAs.

“Eles já foram nos procurar para fazer um acordo, dizendo que iríamos pagar menos. Mas este não é um interesse pessoal do Conselho Federal de Administração, pois não queremos apenas resolver o nosso problema. Esta é uma questão de cidadania e ninguém a exerce sem exercer um papel político e a nossa classe, comprometida com as questões nacionais, faz essa denúncia, para que haja as duas modalidades de boletos: registrado e não registrado. Se não for assim, até as ONGs, que recebem doações, muitas vezes via boleto bancário, vão sofrer”, disse o presidente do CFA.

A próxima manifestação está marcada parta o dia 20 de setembro, na cidade de Manaus, no Amazonas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário